Alguém disse um dia...

...que definir-se é limitar-se.

Bobagem.

Definir-se é simplesmente tentar dizer o que tu és, o que tu fazes, o que tu pensas, o que tu queres e não queres.

É tão idiota aquele babaca que falou isso que acabou vendendo milhões de exemplares de um livro patético de auto-ajuda.

Sim, vendeu milhões e é idiota.

Explico.

Pessoas inteligentes mesmo, que lançam bons livros, não vendem milhões. Não ganham milhões. Pelo menos não em um livro.

Porque o povo, não só brasileiro mas principalmente, gosta do que não é bom. Gosta do popular. Do mais vendido. Daquilo que ilude.

Eu já critiquei livros de auto-ajuda, paletras motivacionais e o raio que o parta desse tipo. Porque a ajuda dura alguns dias, e olha lá.

Não passa de ilusão.

O fato é que definir-se é simplesmente tentar passar para a fala ou para a escrita aquilo que se é e não é visto diretamente.

Definir-se não é limitar-se.

Porém é claro que isso é a minha opinião.

2 comentários:

Guilherme disse...

Sobre os livros de auto ajuda, eu acho um a idiotice...Porque lê-los, na minha opinião, é admitir que se é fraco, que precisa-se de ajuda pra viver...Não que possamos viver sozinhos, mas as pessoas que lêem ese tipo de livro seguem uma espécie de "regras" necessárias pra viver bem, o que na verdade não existe, é coisa da cabeça. Bom, eu prefiro livros com conteúdo.

Graziela disse...

também concordo...
livros de auto-ajuda não servem para nada.. até porque eles sugerem soluções superficiais..
Deus que é bom, eles não falam