Filosofofóbica

Lembra de quando você era uma criança apenas? Não sabia ler, não sabia calcular. Mas sabia cantar. Achava graça em qualquer piada minimamente idiota. Achava entediante esse lance de noticiários... pra quê, né? Sabia brincar, se entreter. Lembra? Se você tivesse um graveto, transformaria-o numa espada e seria muito feliz brincando com ele o dia todo.
É disso que eu falo quando digo que ODEIO Filosofia, o ato de saber em si. Tá, tudo bem, é legal começar a mirabolar de vez em quando, como discutir se pessoas mudam ou se revelam (vejam este link); não, me deixa explicar melhor isso aí. Pensa em ti, como você está diferente de como era ano passado. Você pensa que mudou ou se descobriu melhor? Agora vejamos: para efeitos práticos, saber disso não faz absolutamente a mínima diferença.
Platão disse que Sócrates era um homem que andava pelos lugares públicos de Atenas perguntando a cada um: "você sabe o que é isso que você está dizendo?" e coisas do tipo. Porra, que louco mais chato! Pois eu tenho uma pergunta para fazer a ele: já tá acordado?

*Maurício colaborou no texto me dando ideia para a pergunta final. Se ficou meio bizarro, é porque ele não sabia o objetivo da pergunta. Em tempo: eu poderia perguntar se Sócrates tem um par de meias azuis, mas eu acho que gregos só usam sandálias.

Um comentário:

Thequila! disse...

Eu amo filosofar, mas sou contra todas as teorias de "grandes filósofos" as quais ouvi...
E fico com raiva toda segunda, quando o professor enfia minhoca na cabeça de um bando de abobados que não sabem pensar por si mesmos e, por isso, acham que são inteligentes porque seguem teorias de "grandes filósofos".