A dor da criação

Ser Deus deve ser a mais árdua tarefa que alguém possa realizar. Imagine você tendo de amar as pessoas que só falam mal de ti, ou ainda, te desprezam, não sabem que você existe e não fazem questão de saber de sua existência. Imagine ser ignorado por bilhões de pessoas (tudo bem, provavelmente isso acontece) fazendo só o bem por elas todas (isso você não faz, com certeza). Pior é dar o dom da vida para todas elas e não receber salário para isso (é, poucas pessoas do mundo trabalham totalmente de graça). A agravante é ter uma concorrência acirrada e impar, que tem uma ajuda espalhada por todos os cantos. A dor de ser Deus deve ser imensa.

Os deuses cultuados na Grécia Antiga eram responsáveis por tudo o que acontecia com as pessoas, fossem atos bons ou maus. Toda a responsabilidade era exclusivamente dos deuses, e apenas o inferno era o destino dos homens. Tais deuses dividiam as responsabilidades e a bondade não era comum entre eles. Ser ruim era comum. Um Deus de total amor era inconcebível naquela cultura.

Amar mesmo os inimigos é algo difícil. Fazer inimigos é algo difícil. Fazer amigos é algo difícil. Estar em todos os lugares é algo difícil.Quase tudo na vida é difícil. Até mesmo o que lhe pode parecer fácil é difícil. Ontem mesmo vi uma demonstração do quão diferente pode ser o fácil do difícil. Uma casa pode se transformar em pedras e destas pedras voltar a ser uma casa. É uma criação de Deus que passou pela mão do homem e se transformou, duas vezes, até agora. Coisas que podem ser fáceis e difíceis.

Improvável é que eu crie vida. Não sou Deus, nem deus. Não sou eu, nem meu. Sofrer como tal pagador de promessas alguém pode sentir, mas sofrer como quem dedica seu tempo, amor e esforço, para com aqueles que retribuem a dor, só faz aumentar a dor em inimagináveis proporções. Nunca sofrerei assim. Graças a quem sofre por mim. Baita dor essa.

3 comentários:

Jessica Berdych Laviere disse...

Pra maioria de nós fica bem mais fácil culpar Deus pelas nossas dores,do que assumir que a dor é apenas consequência dos nossos atos.

É mais fácil procurar um culpado do que assumir a culpa...ainda bem que tbm ñ sou Deus.

Lindo o texto!

Vini Manfio disse...

eu não quero ser Deus

é muita coisa

muita gente

muita porcaria
pra arrumar
ou pra fazer que sejam arrumadas

e a da casa

bom

sei do que falas e
aquele sentimento de que

nunca mais voltaremos lá
a princípio

mas

é estranho

no mínimo

ver as mesmas coisas
de um jeito diferente
em um lugar diferente
mas com um propósito igual

acho que as pessoas também acabam sendo um pouco como casas reconstruídas
tiradas de um lado e reerguidas em outro

não sei

acho que vou me ver assim daqui há algum tempo

Guilherme disse...

Cara, perfeito teu texto. Se colocar no lugar de Deus realmente nos faz repensar certas atitudes...Porque deve ser difícil amar tantos que não acreditam em ti. é realmente uma árdua tarefa.
Abraço