Banho de chuva

Era pra mim ter postado esse texto quarta ou quinta feira, mas a preguiça não deixou. O droga.

Quinta- feira, após a aula, o tempo estava fechado, muito escuro, parecia que ia desabar o mundo. Dito e feito, ainda quando eu estava na parada, começou a chover, era uma chuva leve, fininha, digamos passageira. Entrei no onibus, fui para o fundão como sempre( sempre fico no fundo do onibus, no fundo da sala...) e lá conversei com minhas ex-colegas.

O tempo estava ficando cada vez mais escuro, e trovejava muito, eu poderia ter descido em uma parada perto da minha casa e escapar da chuva, mas que nada, continuei no onibus. O onibus então, foi quase até a faixa e virou em uma rua, estava voltando, de repente, começou a chover. Chovia muito, mas muito mesmo e então eu decidi descer logo. Desci numa parada aqui perto de casa, mas como chovia muito, em questão de uns 30 segundos eu estava todo molhado. Então, tirei minha camisa, coloquei dentro da minha mochila com o propósito de não molhar meus cadernos e fui bem devagar pra casa, sem camisa, sem pressa e sentindo a chuva gelada em mim, mas que nada, quase sempre saio de cabeça quente das aulas e esse chuva gelada esfriou meus pensamentos. Ah, como é bom tomar banho de chuva.

Cheguei em casa mais molhado que um pato e pra variar não tinha luz. Entrei, larguei minhas coisas, tirei minha roupa que estava encharcada e fui pro chuveiro. Água gelada( dã, tinha faltado luz), mas que nada.

Conclusão, é muito legal tomar banho de chuva sem pressa e depois da aula.

Um comentário:

ViNícULa disse...

só pra constar que os patos não se molham, porque se fosse assim, eles afundariam
ou algo do tipo
poderias ter usado outro animal
como
uma patricinha quando entra na piscina

mas no começo
achei que o texto era da Grazi
mesmo com aquele droga no fim do primeiro parágrafo