Indecisão no trânsito

Meus pais foram ao médico hoje há tarde em Novo Hamburgo, pra desparecer, eu resolvi ir junto. E também porque fui forçado há ir com eles( aqui em casa é assim, protestei, mas não deu certo, hehehe).

Eles consultaram. Todo em ordem, ainda que meu pai tinha que fazer um exame, depois fomos no Bourbom, minha mãe queria comprar melância porque falo que estava impredível a oferta. Lá fomos nós. Como sempre o Bourbon estava muito movimentado.

Depois fomos fazer o tal do exame. Droga, já tinha fachado o local do exame. 
Ainda que saímos de casa 13 e 35 e já era quase 17 horas.

Até fiquei feliz, e muito feliz porque assim íamos chegar logo em casa. Que nada, minha mãe inventou de ir na Carísma( é uma loja que tem aqui em São Leopoldo, tipo um mini-shopping) pra comprar uns cadernos pra mim. E como minha mãe é extremamente miudeira( mão de vaca, pão duro, mas miudeira é um termo que meu avô e meu tio usam, dai como convivi com eles mais de um mês...) demoramos muito pra comprar os cadernos, eu queria um, ela queria outro, mas como quem ia usar os cadernos era eu, eu que escolhi os que me deram em telha.

Pronto, agora sim íamos pra casa.

Tudo calmo, até que numa sinaleira, meu pai parou quase embaixo de uma sinaleira e um caminhão do lado também. Estava ruim a visão pros dois, eu disse para meus pais que eu dava um jeito de cuidar quando o sinal ficasse verde de novo, o sol me atrapalhava um pouco e o camioneiro ficava de olho em mim, quando eu dissesse que abriu o sinal, ele ia tocar junto conosco. Eu servi de bode expiatório, então o sinal pareceu ficar verde, eu olhei com cara de dúvida para o camioneiro e ele sorriu, ficamos indecisos. Se eu acenasse que sim e estava enganado, poderia acontecer uma enorme pechada,
então ficamos nos olhando por uns instantes até que os outros carros começaram a buzinar.
Hehehe, eu estava certo.

Por um instante eu fiquei indesiso e compartilhei isso com o motorista ao lado, preferimos esperar o aviso dos outros carros,
para assim seguirmos tranquilamente.

É um saco cidade grande, eu preferia estar em Frederico Westphalen essa hora, um lugar calmo, interior e sossegado( ao menos onde meus avós moram).

Um comentário:

Graziela disse...

hehehe... eu tive que sair com meus pais hoje de manhã.. tava morrendo de fome... fome mesmo, mais que roncar o estomago, tava doendo, de tão vazio...