Estudiantes campeão da Libertadores

Desábato, que é odiado pelos caras da globo, abraça seu companheiro.

Time valente e peleador, tri - campeão e agora tetra, mostrando que não existe jogo jogado. No papel tem menos time, mas isso não existe no futebol. Na raça, na alma, no vamo que vamo, na garra argentina de sempre o time venceu.

No primeiro tempo o Estudiantes foi melhor e só não fez gols porque tem um ataque ruim. O time do bom goleiro Andújar, do lateral Cellay, do Desábato que os caras da globo odeiam e o Grafite colocou na cadeia, do Schiavi em fim de carreira, do valente e brigador Braña, do monstro Verón e do Fernández e Boselli, que mesmo ruins, fizeram os gols da virada.

Não adiantou Ramires, Kleber, Fábio e nem Wágner.

Verón falou que era possível vencer e ele estava absolutamente certo.

O falastrão Adílson Batista, que falou torcer a todo momento pro Barcelona no Mundial, agora está bem calminho.

2 comentários:

Graziela disse...

futebol argentino é o que há!

Maurício disse...

futebol argentino é foda.