Da série "placas ou avisos feitos por idiotas"... IV

Outro post para esta interessantíssima série.
Da última ou da penúltima vez que voltei da escola, de ônibus como sempre, entramos como sempre numa vila que fica quase em Lomba Grande, às margens do Rio dos Sinos, ou dentro, como preferirem. É importante ressaltar que aquela vila é horrível, só tem casa caindo aos pedaços, e toda vez que chove dá enchente. E se não chove é puro pó. Por isso mesmo não se admite que alguém de lá se diga lombagrandense.
Mas então, passávamos por lá, e eu percebi uma casinha, com uma garagem aberta, cheia de bugigangas lá dentro, uma velhinha sentada do lado de fora, e então a placa: "TEMOS CACHORRO QUENTE". Aparentemente, nada de anormal. A não ser pelo fato de que cachorro-quente não se tem, se faz. Não é assim que funciona, você deixa o cachorro-quente pronto por uma semana congelado e quando chega algum desavisado você o aquece no microondas (pobre da pessoa que comer o cachorro-quente... sorte que tem o rio, que já é todo poluído mesmo, logo ao lado). Cachorro-quente se faz na hora, com pão, salsinha, milho e ervilha frescos.
Mas enfim, o que vamos esperar de uma lanchonete de garagem?

Um comentário:

ViNícULa disse...

nada além de cachorro quente de microondas...
hahahhahahahhahahhaha